Detalhes de Artigo

Conhecimento Compartilhado

4 coisas do futuro que já consigo fazer hoje (ou ontem)
Categoria: Inovação e sustentabilidade,
6 de abril de 2018 | Rodrigo Maia

Bem-vindo ao futuro!

Você pode achar que está atualizado, mas não está. Qualquer um que pensa estar atualizado já acabou de ser desatualizado por alguma notícia que acaba de sair aqui pela internet sobre alguma inovação.

É tudo tão rápido, que me assusta como evoluímos. As tendências deixam de ser tendências e viram passado muito rápido.

E, para acompanhar isso tudo, não é tão difícil quanto parece, muito menos é inatingível ou caro.

Eu entrei numa pegada de smartlife. Ou seja, resolvi automatizar algumas coisas na minha vida pouco a pouco.

Sim, tem dado certo! Não, não sou do futuro e muito menos rico.

O que eu já consegui:


PRIMEIRO


via GIPHY

Comecei automatizando minha fanpage de design. Se você falar comigo lá via Messenger, verá que “eu” conversarei sobre meus preços e serviços. E o melhor, quando a pessoa fecha um serviço, aí que o meu eu verdadeiro fica sabendo, ou seja, recebo uma notificação em meu celular.

Facilita muito. Sempre me perguntam quanto eu cobro e, se a pessoa é leiga, acha caro e daí tenho que explicar o porquê que não é caro. Pronto! Meu assistente virtual já faz tudo isso para mim e eu aproveito melhor meu tempo. Só vou usar meu tempo para fechar detalhes de contrato e mandar bala no serviço, nada de gastar tempo explicando e explicando meus serviços para alguém que talvez vá fechar o projeto.

Ainda não terminei de configurar meu robozinho, mas já tem me economizado um bom tempo.

SEGUNDO


via GIPHY

Passei a automatizar coisas que faço todo dia que são mecânicas, como desligar o WiFi automaticamente quando sair de casa e ligar quando chegar ao trabalho. Ao sair do trabalho, ele desliga o WiFi e manda uma mensagem para minha esposa dizendo que saí do serviço.

Às vezes, eu ficava até mais tarde e esquecia de avisar que estava saindo. Como ela sempre me espera para tomarmos café da tarde juntos, eu comecei a avisá-la sempre que saía. Era uma tarefa bem mecânica.​

Estabeleci um raio nas redondezas de onde moro para enviar uma mensagem a minha esposa dizendo que já estava próximo de casa. Ou seja, se algo acontecer no caminho que faça eu demorar mais que o normal para chegar, ela ficará sabendo.

TERCEIRO


via GIPHY
Configurei coisas mais banais, como responder minhas mensagens de aniversário automaticamente. Quem nunca quis isso? Pelo menos uma pessoa introspectiva como eu gosta da ideia… haha.

Porém, claro que responderei pessoalmente àqueles mais próximos. Tem gente que nunca mais falou comigo e nem no mínimo colega é, daí só me dão parabéns porque apareceu no Facebook. Bom, a estas respondo automaticamente.

Meu celular tem pouco espaço, não é? Hoje em dia quem tem espaço no celular é rei. Então não posso instalar 2 contas de e-mail, que é a pessoal e a do trabalho, por este motivo eu consegui automatizar meu e-mail do trabalho para me enviar em forma de mensagem qualquer e-mail que receba. Assim não preciso instalar mais um e-mail. Obviamente, não recebo anexos, mas é bom para quando quero consultar um e-mail em uma reunião. (No meu caso, não uso notebook, uso um desktop. Então não há um computador para levar para reunião, apenas o celular.)


QUARTO


via GIPHY

Há coisas que ainda posso configurar, como ligar a TV assim que chegar em casa. Seria um combinado com a função que fiz de ligar o 
WiFi quando chego em casa.

Acender as luzes quando chegar, mas para isso devo trocar minhas lâmpadas para lâmpadas inteligentes, como as da Philips Hue, por exemplo.

Eu já poderia ter o Google Home ou Alexa, que são assistentes de voz.
Aí poderia dizer para eles acenderem o fogão, acionarem o alarme da casa quando dormir, acionarem a máquina de lavar, abrirem a garagem e outras coisas mais. (Empresas que fazem dispositivos para abrirem garagem sem fio, cuidado hein? Estão ficando obsoletas.)

Ainda não faço essas coisas porque preciso comprar alguns acessórios para adaptar à casa. Para isso, devo ter um investimento mediano aí. Para quem consegue comprar um iPhone em 12 vezes nem achará tão caro parcelar uma instalação de smart house. (risos)

Mas os 3 primeiros que citei foram gratuitos.


Quinto (é assustador)

via GIPHY

Isso tudo é possível hoje, em 2018. Aliás, já era possível alguns anos atrás, porém está cada vez mais acessível.

Inclusive já chegou no Brasil o carro da Tesla, do Elon Musk, o Tony Stark da vida real. O carro simplesmente não tem chave para ligar, apenas um dispositivo em forma de minicarro que escuta sua voz. Basta dizer “dê uma ré” que o carro dá a ré antes de você entrar no carro e abre as portas se você pedir.

E, em breve, as pistas estarão aptas para suportar o modo piloto automático. Se é que já não é possível fazer isto hoje com esses smartcars.

Alguns smartphones não precisamos nem tocar a tela. Basta fazer um gesto que ele reconhece. Isso também será cada vez mais comum.

(Grupos de danças se preparem para fazer um show de efeitos com holografia que interajam com seus movimentos. Arquitetos e Químicos, aprendam movimentos de kungfu para controlar seus softwares simuladores 3D, como faziam os personagens da série Avatar para controlar os elementos da natureza)

Gente, isso é hoje, não é futuro.


via GIPHY - Um hoverboard. Isso mesmo, skate voador.

Este poderia ser um post sobre tendências, mas como tudo é tão rápido, pode ser que assim que eu postar este artigo, ele já esteja desatualizado. E, de fato, está, porque escrevi ‘que vou postar’.

Você percebeu que não falei de tendências, mas sim de coisas atuais?

Possivelmente, se você é uma pessoa que ainda não entrou na Era Smart, muito em breve, você estará muito mais desatualizado do que já está hoje.

E, se você tem uma empresa assim, meio desatualizada, então é melhor se ligar para ontem, porque, em breve, teremos uma virada tecnológica que deixará muita coisa obsoleta em um estalar de dedos, incluindo sua profissão.

Creio que, principalmente, as escolas deveriam ser mais ligeiras na atualização, porque ninguém ensina como usar a tecnologia e isso faz com que a turminha não saiba discernir informações verdadeiras das falsas, ou como usar a tecnologia a seu favor e de forma ética.

Por isso, estamos debatendo de novo se a Terra é plana ou não com sangue nos olhos (este é apenas um exemplo simplista do problema, que é bem maior).



via GIPHY

Não sei vocês, mas me assusta o fato de não saber dizer o que virá no futuro ou o que já está no presente. Parece que cada vez que penso no futuro ele já se torna o passado. O futuro não tem nem tempo de se tornar presente.

Parece difícil de acompanhar, não é mesmo?
Como acompanhar essa mudança toda?

Você pode fazer como eu. Pense o que poderia ser automatizado na sua vida e em sua profissão.

Eu já estou evitando me especializar em algumas áreas da minha profissão que eu conseguiria automatizar. Porque, se eu consigo prever uma automação nesta área, quanto mais uma empresa multinacional ou uma startup com bala na agulha o fará.

O segredo é esse: quebre sua própria profissão usando sua imaginação e, assim, você estará um pouco mais preparado para o que virá. Pense em como a tecnologia poderia acabar com a sua profissão. Você se verá antecipando este “golpe” e se rearranjando para outra coisa como eu tenho feito.

Se você se acha velho demais para isso, não desanime, se esforce para isso, ou seu negócio poderá ser engolido muito rápido, assim como aconteceu com quem era dono de locadoras.

OUTRA DICA


via GIPHY

Nem preciso dizer para você usar as redes sociais para acompanhar notícias, não é mesmo? Isso já é praticamente básico como tirar um RG.

É lá que você percebe as tendências, as evoluções do comportamento humano pela rede. 
Isso te dará um baú de ideias para você conseguir imaginar o futuro com um pouco mais de clareza.

Mas lembre-se: Você sempre estará desatualizado. Por isso não se fruste, pois a tecnologia é muito rápida mesmo. Então, nunca pense que já se atualizou o suficiente. Há sempre o que aprender e onde evoluir.


Última dica

via GIPHY

Se possível, não viva correndo atrás das ondas de tendências, crie as ondas. O melhor lugar para se estar nesta era é na ponta, junto aos inovadores, e não com os que se adaptam toda hora. Isso vai se tornar muito cansativo e você desistirá de acompanhar a tecnologia mais rápido do que imagina. Enquanto os taxistas brigam com os motoristas de Uber, carros autônomos estão vindo para tirar a profissão de ambos.

Então, procure usar a imaginação e faça os outros te acompanharem. Esta é uma tarefa árdua, mas creio que valerá muito a pena se você se encontrar e se enxergar na ponta de tudo isso.

Se você chegar lá, não pare, porque, ao chegar lá e se acomodar, você poderá já estar obsoleto.


E por último, uma dica bônus e prática


via GIPHY - Cena do filme Ex Machina

Caso não saiba por onde começar, sugiro que comece assistindo a filmes de ficção científica. Lá tem muito cheiro do que está por vir.


--
 

Ferramentas que estou usando para automação

Caso esteja curioso, aqui estão as ferramentas que uso:

 --

Escrito por: Rodrigo Maia

Designer no Grupo Bridge, músico nas horas vagas, viciado em desenhos animados e em tecnologia.


Comente:


Bridge 2018 © Todos os Direitos Reservados - Designed by Centersite