Detalhes de Artigo

Conhecimento Compartilhado

Como ser mais criativo?
Categoria: Liderança e Autodesenvolvimento,
29 de setembro de 2017 | Alessandra Denis

Você sabia que esta é uma questão que assombra muitas pessoas? Que muita gente não se considera criativa? Pela experiência que já tive com mais de duas mil pessoas que participaram de workshops que conduzi sobre criatividade, uma média de 50% das pessoas não consegue se reconhecer como criativa. Incrível, não?

Segundo Jacob Levy Moreno, o indivíduo espontâneo é criativo, e do ponto de vista psíquico, é saudável. Ou seja, todos nós nascemos criativos e espontâneos e, conforme vamos crescendo, esta espontaneidade vai se modificando dependendo da educação e cultura onde estamos inseridos. Contudo é possível desenvolver e resgatar nossa espontaneidade.

Para desenvolver um comportamento criativo não tem fórmula mágica, mas é muito importante estar disponível para fazer mudanças em si mesmo, na rotina e sair do modo automático, que é fazer sempre a mesma coisa com as mesmas pessoas e – o que é pior – sem se dar conta disso!

Agora você deve estar perguntando: que tipo de mudanças preciso fazer?

Na verdade, é mais simples do que imaginamos, a criatividade está em todos nós e para aguçá- la precisamos ser mais questionadores, curiosos, entrar em contato com nossos sentimentos e experimentar coisas novas como, por exemplo: conhecer lugares, mudar o caminho para o trabalho, almoçar com pessoas diferentes, usar a empatia na relação com as pessoas etc.

Resumindo é o desabrochar da fantasia, que, quando desperta, anima toda uma maneira de ser: uma vida repleta de desejo de inovar, de explorar novas formas de fazer as coisas, de transformar sonhos em realidade. Assim, olhar o mundo com outros olhos e descobrir suas fortalezas, ou seja, aquilo que te identifica de fato. Consequentemente, aprofundar o conhecimento em questões de seu interesse e se abrir para criar interesses novos. Ousar!

Tudo isso faz você entrar em fluxo e, assim, a criatividade flui naturalmente. Que tal experimentar?

Segundo o neurocientista Gregory Berns, para que isso aconteça é importante ter uma mente “Iconoclasta”. Ele lista três pontos essenciais:


1. Precisamos desenvolver nossa percepção através dos cinco sentidos;

2. Ter conhecimento, reconhecimento dos nossos medos e enfrentá-los;

3. Exercitar a inteligência social, que significa fazer novas conexões com pessoas e conhecimentos.


Para favorecer tais mudanças, precisamos focar no nosso desenvolvimento integrado, através dos 05 eixos: Físico, Emocional, Conhecimento, Relacional e Transcendental.

Para saber mais sobre os 05 eixos que podemos (e devemos) desenvolver em nossas vidas, acesse nossa página do X.Five

Ampliando nosso autoconhecimento, descobrindo nossas forças pessoais e construindo um processo sólido de evolução pessoal.

Agora eu te pergunto: O que você está esperando?

Sempre há tempo para o desenvolvimento!

Escrito por: Alessandra Denis

A Alê Denis é uma consultora que gosta de fazer a diferença na vida das pessoas, conduzindo programas de soluções educacionais e de fortalecimento de times.


Comente:


Bridge 2016 © Todos os Direitos Reservados - Designed by Centersite